terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Fôrmas de alumínio para paredes estruturais de concreto armado moldadas no local

Fonte:Revista Téchne
Por Fernando Benigno da Silva


Descrição do sistema

Sistema de fôrmas de alumínio para execução de paredes de concreto armado moldadas no local, como construção de casas, sobrados e edifícios

 

Características

O sistema de fôrmas é constituído por painéis fabricados com perfis estruturais de alumínio e chapas também em alumínio. Suas dimensões variam de acordo com o projeto do cliente. De acordo com a empresa, não existe uma modulação padrão. Os projetos são elaborados caso a caso, e os equipamentos fabricados sob medida, uma vez que os sistemas de fôrmas são vendidos. A largura do painel é limitada, conforme o peso, para que se consiga uma boa produtividade na montagem e desmontagem manuais das fôrmas; em geral o limite é de cerca de 60 cm, porém podem ser construídos módulos maiores.

Os painéis de alumínio são montados manualmente (cada painel pesa menos de 18 kg/m2), já com os vãos para as janelas e portas.

O travamento do sistema de fôrmas é feito a partir de pinos e cunhas, com espaçadores internos reutilizáveis que, além de conferir espaçamento entre as faces das fôrmas, conforme a espessura de projeto da parede, resistem aos esforços atuantes devidos ao empuxo do concreto.

O alinhamento dos painéis é feito com perfis C 7,5 ou peças de "metalon" de 4 cm x 8 cm, com espessura de 3 mm, presos às fôrmas com um alinhador posicionado na união dos painéis.

Os painéis de alumínio não possuem furações para passagem de ancoragens; somente a passagem fina da chapa de ancoragem na emenda dos painéis. Também não possuem rebites, emendas ou marcas na face que faz contato com o concreto, proporcionando um acabamento liso da superfície concretada.

O sistema possui placas de fechamento para os vãos de portas e janelas, como gabaritos. No projeto de gabarito para vão de janela é prevista uma pequena abertura para saída de ar evitando imperfeições na concretagem.

O sistema de fôrmas pode ser empregado para diversos tipos de concreto, como o convencional, leve ou autoadensável. Não possui restrição quanto ao uso de vibrador e, em cerca de 12 horas, o concreto poderá ser desenformado, dependendo de suas características específicas de resistência à compressão e módulo de deformação.

Em sobrados e edifícios de múltiplos pavimentos, a laje pode ser concretada juntamente com as paredes, numa única etapa, ou em ciclos alternados e sucessivos.

O desmoldante recomendado para as fôrmas é à base de água e parafina líquida.

Imagens: divulgação SH Fôrmas
Radier, colocação das telas soldadas, instalações hidráulicas e elétricas
Características técnicas

Espessuras mínimas de paredes
De acordo com a SH Fôrmas, a espessura das paredes de concreto pode variar em razão do cálculo estrutural. A SH informa que há uma tentativa de padronizar em 10 cm a espessura da parede, porém poderão ser elaborados projetos com outras espessuras de paredes. A espessura de 8 cm poderá limitar-se a paredes internas de unidades térreas; as espessuras de 12 cm e 15 cm poderão ser adotadas em prédios mais altos.

Sequência do processo produtivo

 Execução do radier ou outro tipo de fundação definido em projeto
 Colocação de armaduras, prevendo-se gabaritos para ajudar no posicionamento das fôrmas de alumínio
 Instalação dos kits de instalações hidráulicas e elétricas
 Instalação das fôrmas de parede, com gabaritos para as aberturas
 Instalação de fôrmas de laje, quando for o caso
 Concretagem
 Desenforma

Tipo de concreto a ser utilizado

De acordo com a empresa, pode ser utilizado qualquer tipo de concreto, como o convencional, leve ou autoadensável.

Reutilizações

De acordo com a SH Fôrmas, devido às características do material, o número de reutilizações é estimado em 1.000 ao longo da vida útil das fôrmas.

Custo das manutenções ao longo da vida útil das fôrmas

De acordo com a empresa, dependerá de sua utilização e dos cuidados no manuseio na obra, de limpeza, transporte/movimentação e armazenagem. Geralmente, o custo da manutenção é da ordem de 20% da fôrma original, ao longo da vida útil.

Cuidados no manuseio e limpeza

A empresa recomenda a lavagem das fôrmas após cada concretagem, com jatos de água, para evitar que o concreto fique impregnado nas fôrmas, dificultando a sua remoção posterior, bem como o uso de espátulas, embora o tipo a ser utilizado não seja especificado pela empresa. Recomenda também evitar quedas e impactos na superfície de contato.

Imagens: divulgação SH Fôrmas
Montagem das fôrmas para paredes
Imagens: divulgação SH Fôrmas
Imagens: divulgação SH Fôrmas

 

Componentes do sistema

 Fôrmas de alumínio
 Chapas de fechamento para os vãos de janelas e portas
 Espaçadores reutilizáveis em aço SAE 10 1035
 Clipes, pino e cunha para união dos painéis e fixação dos espaçadores e alinhadores 
 Perfis para alinhamento das fôrmas e aprumadores
 Ferramentas para desenformar paredes e lajes (retirada de painéis e espaçadores)
 Console (usado como andaime de trabalho preso à própria fôrma) e poste guarda-corpo para o topo da fôrma

Etapas de produção e indicadores de prazo

O índice de produtividade na montagem das fôrmas de alumínio é de 0,30 hh/m2. Para uma casa com 36 m2 de área, que tenha uma área de fôrma de 200 m2 (considerando as duas faces da parede), a montagem das fôrmas pode ser concluída em um dia, de 10 horas, com uma equipe de sete homens.

Indicações de locais de construção e unidades construídas

O sistema de fôrmas foi disponibilizado ao mercado há dois meses e ainda não tem obra em execução. A primeira entrega do sistema a um cliente da SH deve acontecer até o final de 2009.

Ferramentas e equipamentos necessários para a execução do serviço

 Martelo de poliuretano
 Esquadro
 Prumo de face
 Prumo de centro
 Pequenono pedaços de vergalhão para gabarito das fôrmas
 Escadas

Segurança

O sistema possui um componente específico para a montagem de andaimes suspensos presos à própria fôrma, o console Lumiform SH.

Para montagens em edifícios de multipavimentos deve ser usado o console, que cria uma plataforma de trabalho que permite a montagem segura da fôrma das paredes externas e um guarda-corpo para proteger o nível no topo da fôrma.

O uso de EPI's faz-se necessário quando forem feitos serviços de montagem de fôrmas, concretagem e desenforma, bem como serviços complementares.

Nos trabalhos em alturas superiores a 2,00 m é necessário o uso do cinturão de segurança tipo paraquedista.

Imagens: divulgação SH Fôrmas
Concretagem
Imagens: divulgação SH Fôrmas
Desenforma
Imagens: divulgação SH Fôrmas
Colocação de esquadrias, pintura, telhado e acabamentos

 

Relação dos EPI's necessários:

 Bota de segurança com bico de aço
 Capacete de segurança
 Cinto de segurança com trava-quedas (preso em cabo de aço ou corda de segurança auxiliar)
 Luva de proteção (vinílica, de raspa)
 Óculos de segurança
 Protetor auricular

Controle da qualidade

A SH Fôrmas recomenda que sejam verificados os seguintes aspectos durante a montagem das fôrmas e execução da obra:

 Na etapa inicial, prestar atenção ao nivelamento do radier, de modo a não comprometer o alinhamento e prumo das paredes
 Durante a concretagem do radier, colocar pequenos pedaços de vergalhão de aço que servirão como sustentação e gabarito para o posicionamento das telas soldadas
 Utilizar espaçadores plásticos nas telas de aço e eletrodutos
 Colocar reforço de telas ou barras de aço nas bordas e vãos de portas e janelas
 Em edifícios mais altos, as paredes recebem duas camadas de telas soldadas e reforços verticais nas extremidades, conforme projeto estrutural específico
 As instalações elétricas e hidráulicas devem estar presas à tela soldada, com arame recozido
 Observar as quantidades corretas de pinos, cunhas, alinhadores e aprumadores informadas pela empresa
 Durante a concretagem, distribuir o concreto de maneira uniforme ao longo das paredes, garantindo o preenchimento total das fôrmas e a qualidade de acabamento; em geral é recomendado o uso de vibrador de agulha, com diâmetro compatível com a espessura da parede e cobrimentos de armadura
 Adotar as práticas usuais de controle tecnológico do concreto, com determinação da resistência à compressão na desenforma e massa específica, quando necessário
 A folga máxima entre os painéis de fôrmas (junta entre os painéis) é de 1 mm

 

Imagem: divulgação SH Fôrmas
Componentes do sistema

 

Manutenção

Fôrmas de alumínio

Após cada desenforma, a empresa recomenda que seja feita uma limpeza superficial com jatos de água nas fôrmas para evitar que o concreto se impregne nelas, além da aplicação de desmoldante antes de cada concretagem.

Acessórios

De acordo com a empresa os acessórios têm a mesma previsão de vida útil dos painéis. O que pode ocorrer é a perda de material, pois as peças são de pequenas dimensões; a obra deverá ter cuidado quanto à guarda das peças, principalmente na ocasião da desenforma.

Concreto

As questões relativas à manutenção para cada empreendimento devem constar no manual de uso e manutenção. Os usuários devem ser informados sobre a necessidade de manutenções periódicas. Ao longo da vida útil de projeto pode ser realizada manutenção na estrutura de concreto armado, principalmente quanto à proteção contra corrosão de armaduras. Os ninhos de concretagem que ocorrerem durante a etapa de obra são corrigidos antes do acabamento das paredes.

Imagem: divulgação SH Fôrmas
Montagem
Fotos: divulgação SH Fôrmas
Plataforma de trabalho

 

Vida útil de projeto e prazos de garantia (NBR 15575-1:2008)

Conforme a NBR 15575-1:2008, a vida útil é uma indicação do tempo de vida ou da durabilidade de um edifício e suas partes. A VUP (Vida Útil de Projeto) é definida no projeto do edifício e de suas partes, como uma aproximação da durabilidade desejada pelo usuário, representando uma expressão de caráter econômico de uma exigência do usuário, contemplando custos iniciais, custos de operação e de manutenção ao longo do tempo.

No Brasil, para os edifícios habitacionais, foi adotado, em caráter informativo, o período de 40 anos como vida útil de projeto mínima (VUPmínima) e o período de 60 anos como vida útil de projeto superior (VUPsuperior), sendo que a escolha de um ou outro período cabe aos intervenientes no processo de construção. Para que a vida útil de projeto seja atingida é necessário o emprego de produtos com qualidade compatível, a adoção de processos e técnicas que possibilitem a obtenção da VUP, o cumprimento, por parte do usuário e do condomínio, dos programas de manutenção e das condições de uso previstas. Os aspectos fundamentais de uso e manutenção do edifício e de suas partes normalmente são informados no manual de uso, operação e manutenção do edifício, ou em manuais de fabricantes, sendo que a NBR 5674 é uma referência para definição e realização de programas de manutenção nos edifícios.

Associado à VUP está o prazo de garantia, contado a partir da expedição do Auto de Conclusão ou Habite-se do edifício.

Considerando-se, portanto, os prazos de vida útil mínimo e superior para o edifício habitacional, de 40 e 60 anos, respectivamente, a NBR 15575-1 traz, em caráter informativo, os prazos de VUP e de garantia para paredes estruturais apontados acima.

Preços e formas de comercialização

O orçamento deve ser feito por uma análise detalhada do projeto estrutural do empreendimento, porém, como parâmetro, pode-se utilizar o valor de R$ 1.000,00/m2 para a área de fôrma a ser fornecida à obra. Deve ser considerada a área total de fôrmas para cada face da parede.

A comercialização é feita por venda mercantil, e a SH possui registro junto ao Finame para a comercialização do equipamento.

O sistema construtivo Lumiform SH está disponível apenas para venda. Podendo ser financiado pelo Finame em até 120 meses e juros de 4,5% ao ano em média, dependendo da instituição financeira do cliente.

Os valores e condições variam de acordo com o volume e prazo, e podem ser obtidos diretamente com a empresa.

 

Vida útil e prazos de garantia

Elemento construtivo

VUP (anos)

Prazos de garantia (anos)

Mínimo

Superior

Mínimo

Superior

Paredes estruturais

40

60

5

7,5

Segurança e estabilidade global, estanqueidade de fundações e contenções

Nota: para o nível superior, o prazo de garantia foi acrescido de 50% em relação ao mínimo.

 

Indicadores ambientais

Classificação do resíduo: conforme resolução Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente) 307 de 05 de julho de 2002, os resíduos podem ser considerados de classe A para concreto e classe B para as fôrmas de alumínio.

Destinação do resíduo: os itens de classe A são destinados a aterros de resíduos da construção civil ou a usinas de reciclagem como agregados. Os resíduos de classe B devem ser reutilizados, reciclados ou encaminhados a áreas de armazenamento temporário para futuro uso ou reciclagem.

Nota: a SH recicla as sobras de alumínio para a fabricação de novos perfis de painéis.

 

Serviço
SH Fôrmas, Andaimes e Escoramentos Ltda.
R. Visconde de Pirajá, 595/1.401 - Ipanema, Rio de Janeiro (RJ) 
22410-003
Tel.: (21) 2512-7676 - 
Fax: (21) 2512-7141
Fábrica: 0800-726-7121
Home page: www.sh.com.br e e-mail: sac@sh.com.br


Nenhum comentário:

Marcadores

Pesquisar este blog

Carregando...

Total de visualizações de página